28/06/2019 - Começam os trabalhos de educação ambiental nos municípios!

Projeto do Cipae G8 e Univates busca a conscientização ambiental

 Felipe Nietzke

 

Mais um município inicia a capacitação de “multiplicadores” do projeto desenvolvido pelo Consórcio Público Intermunicipal para Assuntos Estratégicos do G8 (Cipae G8) em parceria com a Univates. 

O propósito é propagar ações de educação ecológica através da destinação correta e reaproveitamento de resíduos. Esses agentes multiplicadores farão o trabalho com o restante da população por meio de reuniões, cartilhas e ações práticas. 

Um dos municípios onde está em curso é Boqueirão do Leão, onde o programa está sendo ministrado pela professora Luciana Turatti, com ampla experiência nos temas: cidadania, recursos hídricos, governança, meio ambiente, resíduos, agroecologia, políticas públicas e responsabilidade ambiental. 

“Talvez a educação demande mais tempo e envolvimento das pessoas, para quando a central de resíduos estiver em funcionamento, a comunidade esteja habitada a fazer a separação da forma adequada”, avalia Turatti. 

Faz referência à importância da conscientização, dos impactos e responsabilidades de cada um. “Há dez anos não se tinha uma coleta seletiva em Lajeado e mesmo assim eu já tinha minha composteira em casa. Independente de como seria o processo de coleta, queria estar bem comigo mesma, sabendo que fiz minha parte”, comenta. 

Destaca o compromisso que cada morador precisa assumir para validar o projeto. “Enquanto eu não faço a minha parte, como vou cobrar do governo que faça a parte dele?”, reflete a professora Luciana. 

Conforme o Prefeito de Boqueirão do Leão e Presidente do G8, Paulo Joel Ferreira a central de triagem deve estar concluída em 2021. “Temos que iniciar a educação ambiental com antecedência e dar continuidade para quando iniciar a coleta seletiva no município”, pontua Ferreira. 

Enaltece a importância do trabalho que será desenvolvido pelos multiplicadores, alguns servidores públicos e outros voluntários. “Primeiro temos de educar, para depois cobrar da sociedade. É um trabalho em prol da comunidade, das novas gerações, para um município cada vez melhor”, complementa.

Também presidente do Cipae G8, Paulo Joel destaca a união dos municípios e o avanço das obras na Central de Triagem. Segundo ele, o consórcio é modelo no plano de gestão integrada de resíduos sólidos. “Estamos desenvolvendo um projeto de R$ 5 milhões e a educação ambiental é item exigido aos municípios”, comenta.

 

Central de Triagem

Convênio com a Funasa viabiliza a Construção de um pavilhão com área total de 1.049,37m² que abrigará a operação de triagem a qual tem por objetivo o recebimento de resíduos sólidos junto à localidade de Campo Branco, no município de Progresso.