25/08/2021 - Líderes discutem rota de cicloturismo

Os prefeitos que integram o consórcio G8 definem nesta quinta-feira, às 9h, em Sério, a contratação de empresa para projeto na área do turismo. A proposta trata de um roteiro para o cicloturismo, atividade de uso da bicicleta que une lazer, mobilidade e natureza.

O projeto inclui seis municípios consorciados e tem um trajeto estimado em 130 quilômetros. A rota prevista contempla Boqueirão do Leão, Canudos do Vale, Forquetinha, Marques de Souza, Progresso e Sério.

Por uma questão de logística e distância dos demais municípios, Cruzeiro do Sul e Santa Clara do Sul ficam de fora deste roteiro. Conforme o prefeito de Sério, Moisés de Freitas, durante a reunião será definida a contratação da empresa para o estudo técnico.

“Estamos bem avançados neste aspecto e os demais prefeitos já sinalizam de forma positiva para a proposta. Esse estudo contempla o mapeamento da rota, plano altimétrico e histórico dos pontos de visitação”, explica Freitas, que enfatiza as belezas naturais da microrregião.

Ainda conforme o prefeito de Sério, o cicloturismo já é uma realidade no Vale, mas ainda não há um projeto estruturado. “Percebemos essa carência de roteiros onde o visitante pode praticar o turismo e ter um apoio com informações dos locais”, observa.

Freitas considera o investimento baixo comparado aos benefícios para o turismo regional. O custo do estudo, material de apoio, placas de sinalização, ferramentas digitais e demais investimentos será dos municípios. “Seremos pioneiros no Vale do Taquari com um roteiro de cicloturismo e mapeamento por georreferenciamento.”

Inspiração

A inspiração vem de roteiro já consolidado na Serra Gaúcha. A Rota Romântica inclui 14 municípios e totaliza 355 quilômetros. O trajeto é por estradas secundárias e, em sua maioria, não pavimentadas.

Por ser um circuito, a saída e chegada oficial é na central de informações ao turista, em Nova Petrópolis. O percurso, porém, pode ser feito de forma independente e em qualquer tempo e distância, pelo formato autoguiado.

O projeto foi elaborado por empresa de treinamento, consultoria e assessoria na área de normas técnicas para o turismo. De acordo com o diretor da Nomas – Descobrir é Preciso, Luis Marcelo Rodrigues, uma proposta neste sentido foi apresentada aos prefeitos do G8.

“Está na mão dos gestores municipais a definição do projeto de cicloturismo. A região possui todas as características e potenciais para avançar nesta modalidade”, observa o diretor e consultor da Nomas.

Turismo em alta

O isolamento social em função da pandemia fez aumentar a procura por roteiros em meio à natureza. De acordo com Rodrigues, a demanda pelo turismo de aventura segue uma crescente e proporciona um bom momento para investir.

“Estar ao ar livre é uma maneira mais segura de praticar esporte ou promover eventos de aventura. Neste contexto, também se percebe um aumento expressivo na venda de bicicletas”, avalia o diretor da Nomas.

Para bem acolher os visitantes e proporcionar boas experiências, a estruturação do roteiro é imprescindível. “Precisamos sempre pensar na gestão, segurança e sustentabilidade. Essa é a base para criar uma rota cicloturismo ou caminhada”, pontua Rodrigues.

Fonte: Grupo A Hora